quarta-feira, 22 de abril de 2009

Outono



Existe uma hora em todo fim de tarde de outono que não consigo - já tentei diversas vezes - descrever. Acontece algo tão sublime que não cabe a mim nem a minhas palavras explicar. Não sei se são as boas recordações ou o clima calmo que vem a tona em tal momento.

A luz vermelha de um sol amigo invade a sala de estar, um vento frio me toca a pele e um silêncio tão audível e amável quanto um riso infantil me levam para além de mim mesmo.

Tão simples e tão perpétuo é o momento que sinto vontade de ficar ali parado, para sempre.

Até enfim que o sol se vai e me liberta do prazer sufocante do fim de tarde.


[Foto: Olivier Taugourdeau]

10 Opiniões:

tai disse...

Caramba! Que diferença notável na tua narrativa! Isso está muito leve, disso eu gosto muito.

Luciano Freitas disse...

cara! eu sei exatamente o que é isso! eu também sinto. não é à toa que o outono é a minha estação preferida... e quem disse que não consegues descrever? descreveu o momento exatamente como ele é: inexplicável..rs eu já fiz até uma música de violão instrumental chamada "bem vindo, outono". quando quiser, te passo! abração!

CooKie disse...

é uma coisa tãoo simples q a gente nem consegue descrever


é realmente estranhoo...

Lu Paes disse...

Oi, Lucas!!!
Acho que já tinha te dito que o outono é minha estação preferida. E acredito que esse texto fala exatamente o porquê disso.
É tão sublime o pôr-do-sol!
heheheh

E, no discorro você fala sobre a Terra. Eu sou bem ligada nesse assunto. Posso discursar por horas sobre tudo isso...E faço o possível para mudar a situação. Já fui até vegetariana (parei por forças maiores...tenho enxaqueca e eu não repunha direito os nutrientes da carne, o que me fazia mal).

Ah, no meu blog voc~e disse que não sabe dançar. Eu também não, mas isso nunca me impediu de rodopiar por aí...hehehe
E a foto foi uma montagem que eu fiz no paint. Não sei mexer em computador, mas resolvi que não me importava com isso e me diverti bastante..hehehe!

Ah, estou nas´últimas páginas do 19º livro...

Beijões da Lu Paes!

Pedro Antônio disse...

Falou tudo! E de maneira sublime!

Seu texto é ótimo! Parabéns!

Eu sinto uma coisa diferente no outono. É como se ele fosse uma trégua, um repouso, um descanso, um meio-termo... entre todas as estações.

Abração.

Pedro Antônio

Dayvson L. disse...

A gente se torna outono tambem!

BóRiO...Que segue! disse...

Texto incrivel..repito o primeiro..narrativa leve..mas notável!

O blog está demais! Abração

OBS: Tudo que eu escrevo,é a base dos sentidos, vem um pouco de tudo, inclusice de raiva!^^

BóRiO...Que segue! disse...

*inclusive xD

Davis B. disse...

aaaaah o Outono.
Como amadores convictos do 'CÉU CINZA' , essa estação é apenas mais um fator que nos estagna , não é?
Acho que somos + parecidos do que eu pensava.[apesar de NUNCA pensar isso]

________________________________
Eletric? QUE NADA !...rs
Isso é outra história que te conto em outro LOCAL.
O Layout?
Não ficou um trabalho explendido como os seus...mas está valendo..rs

Parabéns pelo blog.
Prefiro o Idéias , ao compará-lo com o Discorro.

Diversidade.com disse...

Fico Felizzz por ter gostado.....


Sigo também!!!

bjoooo

=)