sábado, 14 de março de 2009

Nítido

O mesmo vento que entortou a flor passou no cabelo desarrumado anunciando a tarde fria.

As aquarelas sem sal são os vestígios.

7 Opiniões:

Vinícius de R. Rodovalho disse...

Hum, difícil de interpretar. Mas vamos às minhas modestas impressões e - por que não - indagações.

Parece-me que o vento traz um mau presságio. Uma má notícia. Ou talvez nem tanto.

O vento entortou a flor e anunciou a tarde fria. Mas convenhamos que nem sempre uma tarde fria é ruim. O é quando o frio vai mais além, lá dentro de cada um de nós. Mas não quando permite o aconchego e o recolhimento.

Aqui, no entanto, o frio parece-me expor seu sentido mais indesejado. A julgar pelas aquarelas sem sal que sobraram. Sem sal no sentido de sem graça, desbotadas, suponho.

Enfim: a julgar pelos marcadores ali, que também me ajudaram, parece mais um dia que passou e que foi sendo levado. Não tão alegre quanto poderia ter sido, mas não menos dia.

Quanto às imagens, vejo a moça e o vento passando. Na primeira, pela fisionomia e pelo galho torto com uma única folha, vejo o aspecto negativo do vento. Na outra imagem, tenho a sensação de que a moça faz parte do vento. E isso faz toda a diferença.

Devo ter viajado, não? Rs.

Quanto ao Exército, não. Não estou servindo (ano que vem é que espero me livrar disso) e eu não tinha a intenção de colocar o Exército no texto. Apesar dessa ter sido a impressão geral e uma interpretação válida, minha intenção era criticar o Sistema em si, que obriga nós, orgânicos, a sermos motores.

Enfim. (Adoro essa palavra). Só isso mesmo. Ou não só. Rs.

Abraço!

Luciano Freitas disse...

a esses posts íntimos assim, eu deixo o comment do Vinicius aí em cima..rs são suas as pinturas?

Lu Paes disse...

Oi, Lucas!
Olha, sobre seu comentário no meu texto, também acho que quem se guarda demais pode apodrecer por dentro - pena que às vezes eu demore para me lembrar dessa tímida lição que demorei para aprender.

E, sobre o seu post: Sou péssima em interpretações, e eu sou fã da simplicidade. Ela é meu sonho, já disse Clarice Lispector: "Não se enganem, é só através de muito travalho que se consegue a simplicidade".
E, ao contrário do Vinicíus, que escreve lindamente também, acho que às vezes uma coisa é o que ela é.
E é isso. Nada mais, ou talvez muito mais. Além ou aquém - vai saber!

Só tenho certeza disso: adorei a emoção.
Fica meu elogio.

Beijos da Lu Paes!

ps.: repito a pergunta: são seus desenhos???

Lucas Moratelli disse...

Sim, os desenhos são meus. Não que eu me orgulhe muito disso.


Obrigado Vinícius, Luciano e Luiza.

Tainá Caro disse...

Ah, o efeito no rosto ficou muuuuuuiito bom! Quer dizer, pra quem não é profissional :D
Não esqueci do nosso acordo, não! Só que não me vem nada bonito pra pintar pra você...

E outra: hoje não deu pra ir aí, e essa semana vou nas palestras lá da uerj, mas quanto antes quero te visitar! E vamos ver se marcamos no ccbb denovo! Beijão.

TORCIDA JOVEM PAPAGAIOS disse...

falae meu irmao blz?? pow vi o seu blog gostei do nome do seu blog bem excentrico a postagem hein...
parabens
www.mafiadospapagaios.blogspot.com
vlw
fuiii

Lu Paes disse...

Oi, Lucas!
Olha, eu também espero que minha vida passe a ser mais acaju acobreada! Eu juro que, desde a primeira vez que pintei o cabelo, nunca mais esqueci a cor da tinta...é tão estranha!
hehehehe
Ah, meu cabelo agradece o elogio!

E suas aquarelas são lindas!
Eu gostei muito mesmo...A menina com o galho e a folha ficou perfeita!

Beijos da Lu Paes!