quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Parágrafo;

Seco ou Vodka. "A segunda opção é bem melhor!" - Ela disse antes de discordar de mim. Não fazia questão que minha opinião fosse ouvida, não fazia mesmo. Afinal quem quer ser ouvido ou respeitado? "Vamos de Vodka" - Falei abrindo a garrafa sem rótulo atrás do bar. Se pudesse correria até um lugar onde ninguém fizesse questão de me odiar. "Comece por você mesmo!" - Meu analista sempre resmunga. Como começar? Como fazer? Como? De fato nunca fui bom com começos. Quando a coisa engrena vou com toda a força, mas até aí, desmancho-me em sonhos. E sonhos são a válvula de escape e de covardia de todo ser humano. "Errado!? Eu?" - Foi o que eu disse a ela em um lapso de grandiosidade. Arrependo-me até hoje. Afinal que ser humano é esse que merece respeito se nem consegue dar um maldito parágrafo?

Por Lucas Moratelli



3 Opiniões:

vitor marques da silva disse...

aff
sem zoação não entendi nadaaaaaaa

Tainá disse...

Existencialismo: on

Wander Veroni disse...

Oi, Lucas!

Me parece um conto sobre o reencontro de um casal. Mas, como o Vitor lembrou acima, a história precisa ser melhor contextualizada para os leitores, blza. Vc escreve bem, tenha certeza disso.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com