domingo, 21 de setembro de 2008

Por quês;

Estava sentado no chão da conzinha escrevendo sobre si sentado no chão da cozinha.

A xícara de café insistia em não terminar, e ao pensar nisso vacilou, acabou escrevendo fora da linha. Não se importou afinal a letra já estava uma porcaria mesmo.

A música que tocava era calma e passional, o que o deixava mais tranqüilo e com ar de intelectual, era o que ele imaginava.

Certo trecho do que escrevia convém transcrever.

“Sua vida era simples e parecia complexa. Tudo merecia um porque, até mesmo a fixação por ‘porquês’. De que valia afinal, viver sem saber o porquê viver.”

Na verdade sabia que seu problema era não ter nenhum problema. E por ironia da vida esse se tornou o seu problema mais intrigante.

Quando consegue deixar a xícara vazia, conta-se nos dedos os segundos, a chama do isqueiro se acende na ponta do último cigarro. “E agora? Acabaram os cigarros!” – Escreve ele nesse momento.

Enquanto observa a fumaça sair pela janela, imagina com sua grande prepotência que um dia ainda irá ser muito famoso. Um ronco que parece ser de um carro com problemas no motor invade sua pseudo-visão de futuro e atrapalha a música da mulher louca que se solidificava na solidão da casa.

De súbito lhe surge uma dúvida. Como terminar o belo texto que dedicava a si próprio? Cansado, levanta do chão com o resto de cigarro nos dedos e joga a folha de papel no lixo.



Por Lucas Moratelli (a imagem também, e não me orgulho disto)



_________________________
Já paraste à pensar, se realmente és o que pensa ser!?

7 Opiniões:

Natani Cruz disse...

Me lembrei disso enquanto lia...

"É preciso algo que nos preocupe
Para acabar com a monotonia.
Briga com a sogra, duvida
De tua vida, de Deus, de tudo,
Das próprias coisas que melhores julgas,
Porque, na verdade,
Não há nada mais chato na vida
Do que um cachorro sem pulgas..."
(Mario Quintana)

Menino você escreve muito bem, gostei muito, virei aqui mais vezes!

Beijos

Luciano Freitas disse...

Bacana, Lucas.. Linkei vc tb!
abraço e bons contos!

Tainá-O-Rama disse...

Ana :)

Ficou ótimo assim.

Espero que ainda possamos fazer o curta!

Larissa disse...

adorei a forma como escreve!
tento muito escrever contos, mas, ops, não tenho talento pra isso! rsrs

visite/comente:
perfeitofalso.blogspot.com

Lucas disse...

Escrever textos é uma experiência extremamente difícil de descrever. Porque descrever já é escrever, é extremamente difícil de se explicar escrevendo essa metalinguagem. Escrever é puro álcool.

Amei o seu texto.


http://ilude.blogspot.com/

kilder disse...

legal o seu texto...vi seu blog na comu do blogspot...parabens!

Gabriel → Bloga╝ disse...

Você é um louco, com idéias loucas, que são ao mesmo tempo loucuras interessantes...

Mto legal!!!!